Interdição do pródigo

Interdição do Pródigo

Interdição do pródigo. Esse é o tema dessa postagem.

Quais atos não podem ser praticados por pródigo interditado, sem acompanhamento do curador?

Explicação inicial

Pródigo é a pessoa que gasta dinheiro de forma exagerada, e, às vezes, desnecessária. Assim, o pródigo, desperdiça seus bens, podendo, inclusive, comprometer seu patrimônio.

Como resultado, a declaração de incapacidade do pródigo é possível, para a prática de determinados atos da vida civil, ficando dependente de curatela, função exercida pelo curador, para a proteção da pessoa e dos bens do interditado. Essa é a ordem do artigo 1.767-V, do Código Civil.

Resposta

A interdição do pródigo só o privará de, sem curador, emprestar, transigir, dar quitação, alienar, hipotecar, demandar ou ser demandado, e praticar, em geral, os atos que não sejam de mera administração. Essa é a ordem exata do artigo 1.782, do Código Civil.

Final

Dessa forma, a lei e as explicações acima respondem à pergunta feita no início dessa postagem. Com efeito, qualquer outra explicação irá além do limite da resposta. Além disso, nesse site o leitor ou a leitora encontra textos nas áreas do Direito Civil, no que diz respeito à pessoa, à família, à herança, aos bens, às obrigações individuais e solidárias e aos contratos. Além disso, também, estão presentes textos na área do Direito do Consumidor, nas relações de consumo. Certamente, o objetivo principal é conseguir esclarecer as dúvidas do leitor ou da leitora, de forma clara e objetiva. Assim, para saber outras informações interessantes sobre assuntos jurídicos Clique Aqui

Gostou do tema dessa postagem? Se quiser, deixe seu comentário no formulário abaixo.

Os comentários, antes de publicados, passam por moderação.

Clique aqui para visitar o canal da Advogada Ana Lucia Nicolau no YouTube

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.